News

Putin: crimes contra a História e perseguição de historiadores | Opinião


Sergey Koltyrin morreu de cancro num hospital prisional russo em Carélia, em 2020, após condenação a nove anos de prisão. Yury Dmitriev, preso em 2016, foi condenado em Dezembro-2021 a 15 anos de prisão, tendo o seu recurso sido rejeitado há três semanas, após o início da guerra. Koltyrin e Dmitriev têm em comum terem sido condenados por crimes sexuais com menores. Têm também em comum serem historiadores russos de enorme prestígio envolvidos na investigação de crimes do regime soviético: Koltyrin era director do Museu de Medvezhyegorsk, que abrange o território de Sandarmokh, onde a equipa de Dmitriev descobriu as valas comuns de vítimas do extermínio em massa durante o Grande Terror estalinista (1937-38), em que milhares de pessoas foram metodicamente executadas. Em comum, ainda, a sua oposição às medidas de Putin para branquear e reescrever a história do regime soviético. Na União Soviética morreram, perseguidos, acima de 100 historiadores e investigadores, mais do que na Alemanha de Hitler, China e Irão juntos.



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.

close