News

25 de Abril por todo o país: o que ver, fazer, onde ir para festejar a liberdade de cravo ao peito



A previsão meteorológica não é das mais brilhantes, mas o desejo de festejar o 25 de Abril encontra incentivo na variedade de eventos por todo o país. Há possibilidade de ocorrência de aguaceiros fracos e dispersos no
Norte e Centro até ao meio da tarde, mas com uma pequena subida da temperatura máxima e o vento será fraco. Nada tão grave que recomende o sofá em lugar da rua.

Lisboa

O momento alto será na “casa da democracia”, na Sessão Solene Comemorativa do 48.º Aniversário do 25 de Abril de 1974, que se inicia no Parlamento às 10h00. O Presidente da Assembleia da República e o Presidente da República farão os tradicionais discursos.

Entre as 15h e as 18h – hora da última entrada -, o Palácio de São Bento está aberto para visitas livres, condicionadas apenas à capacidade dos espaços. Neste período, os visitantes poderão circular diretamente entre o edifício da Assembleia da República e a Residência Oficial do Primeiro-Ministro.

Entre as 14h30 e as 18h actuarão os Pauliteiros de Miranda, a Orquestra Sem Fronteiras, o Bardoada e ainda do grupo de dança Meio no Meio. Às 15h haverá uma oficina de impressão de postais tipográficos e de cartazes pela Oficina do Cego – Associação de Artes Gráficas e às 16h45 terá lugar uma leitura de um excerto da obra das Novas Cartas Portuguesas”, de Maria Isabel Barreno, Maria Velho da Costa e Maria Teresa Horta. No fim, em tom de festa, um concerto de Dino d’Santiago.

O Quartel do Carmo, onde em 1974 Marcelo Caetano se rendeu às tropas lideradas por Salgueiro Maia, abre portas gratuitamente para a visita a uma exposição temporária intitulada “Salgueiro Maia (1944-1992)”. Abre às 10h e a última admissão é às 17h30.

A Biblioteca Passos Manuel, no Palácio de São Bento, apresenta a mostra “A Revolução de 1974 na coleção da Biblioteca Passos Manuel”. Foram selecionadas 48 obras para comemorar os 48 anos da democracia.

No Museu Nacional de História Natural e da Ciência, à Rua da Escola Politécnica, está patente a exposição “Primaveras Estudantis: da crise de 1962 ao 25 de Abril até 28 de agosto.

O ilustrador André Carrilho expõe 30 desenhos da sua autoria, sobre vários assuntos de atualidade política, publicados na imprensa nacional e estrangeira. Alguns desenhos são inéditos. Temas como as crises dos refugiados, os direitos das mulheres, o 25 de Abril, conflitos armados, racismo e xenofobia, a pandemia, alterações climáticas e liberdade de expressão são abordados. “Desenhos de Intervenção” foi inaugurada este sábado na galeria Passevite, na Rua Maria da Fonte 54. A entrada é gratuita.

Até quarta-feira ainda é possível conferir a exposição “Proibido por Inconveniente”, no Edifício Diário de Notícias, à Av. Liberdade. Livros e os despachos sobre eles, cortes da Censura nos periódicos, na publicidade, nos filmes e nas músicas. Um projeto de José Pacheco Pereira, o promotor do Arquivo Ephemera, que organizou a iniciativa.

O Museu do Aljube, a partir das 10h30, há visitas orientadas e, às 11h, o lançamento do livro “Reconstituição Portuguesa”.

A Junta de Freguesia de Campolide promover um evento comemorativo na praça central. A partir das 118h30, com entrada livre, Cuca Roseta irá cantar Zeca Afonso.

Porto

As comemorações começam com atividades para as crianças, a partir das 10h, na Praça General Humberto Delgado, onde haverá jogos tradicionais.

Às 14h30, no Museu Militar do Porto decorre uma cerimónia e homenagem aos resistentes antifascistas e segue-se depois o habitual Desfile pela Liberdade, com partida marcada no antigo edifício da PIDE (Rua do Heroísmo) e fim na Avenida dos Aliados. A partir das 15h, dois concertos encerram as comemorações, com a atuação dos Comvinha Tradicional e do projeto Chulada da Ponte Velha.

Coimbra

Durante a manhã, a partir das 10h30, e no período da tarde (a partir das 16h30) haverá animação na baixa da cidade, com uma mostra de estátuas vivas alusivas ao 25 de abril. Às 18h, na Praça 8 de maio, atua a Orquestra Sopros de Coimbra. Duas horas antes, no Convento de São Francisco, realiza-se uma sessão de leituras encenadas com o tema “Era uma vez um país a preto e branco: estórias de abril”.

Braga

Às 18h, no Fórum Altice, a tuna da Universidade do Minho (Azeituna) interpreta Músicas de Abril, num concerto solidário que revisita grandes clássicos associados à revolução. Os bilhetes custam três euros e as receitas revertem para a UPE – Associação Centro Social e Cultural Luso-Ucraniano.

Faro

Às 10h30, na Praça da Liberdade, há uma largada de pombos pela paz e às 11h começa a sessão solene no Teatro Lethes. Até ao dia 2 de maio, é possível ainda visitar a exposição “Abril Abril”, na CCDR Algarve (também na Praça da Liberdade), com fotografias, cartazes, primeiras páginas de jornais e notícias censuradas, que permitem revisitar momentos essenciais da Revolução. No mesmo espaço são ainda exibidos vários documentários sobre a época.

Amadora

A partir das 18h, nos Recreios da Amadora, realiza-se o Concerto 25 de Abril, com a Orquestra Geração Amadora

Cascais

No Forte de Santo António, está patente a exposição Entre Revoluções: 5 de outubro 1910/25 abril de 1974. Às 15h30, na Praça 5 de Outubro, atua a tuna da Nova SBE e às 21h30, no Salão Preto e Prata do Casino Estoril haverá concerto da Orquestra Ligeira do Exército com a participação de Rita Guerra (é necessário inscrição no site da câmara).



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.

close